Universidade de Brasília promove acessibilidade digital
A Universidade de Brasília adotou como referência o Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (eMAG) e o Jogo de Acessibilidade Digital no âmbito de utilização da sua plataforma virtual de ensino. Estas ferramentas destinam-se a profissionais ligados ao desenvolvimento de páginas web governamentais e foram desenvolvidas pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP).
O objectivo principal é orientar os professores de educação à distância e a comunidade académica sobre a importância de tornar os ambientes e materiais didáticos acessíveis a pessoas com deficiência. Os documentos e as ferramentas adotados fazem parte de um conjunto de ações desenvolvidas pelo MP.

De acordo com informação publicada no website do MP, os dados do censo demográfico de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicam que cerca de 23,9% da população total do país tem algum tipo de deficiência, visual, auditiva, motora ou intelectual. A mais frequente é a deficiência visual, que afeta 18,6% da população brasileira.

O eMAG apresenta um conjunto de recomendações na área da acessibilidade a sítios e portais do governo brasileiro. O objectivo é proporcionais aos utilizadores um ambiente de acessibilidade padronizado e de fácil implementação. Já o Jogo de Acessibilidade Digital visa ensinar os conceitos de acessibilidade digital de uma maneira simples e lúdica. Os jogo revela quais os entraves e obstáculos que as pessoas com deficiência se deparam ao tentar aceder aos websites.


Siga a RCC no Facebook e no Twitter.