Receita eletrónica chega aos balcões das farmácias
O Ministério da Saúde está a proceder à implementação da Receita Eletrónica em Portugal de forma faseada. A iniciativa visa simplificar a prescrição e o acesso aos medicamentos em todo o país e deverá estar concluída no início do 2º semestre de 2015.
O novo sistema de Receita Eletrónica permite aos médicos prescreverem os medicamentos através do Cartão de Cidadão. Na farmácia, ao introduzir o cartão no leitor de smart card e ao fornecer o código de acesso na guia de tratamento, o utente pode obter os medicamentos que lhe foram prescritos.

A implementação dos dispositivos de leitura do Cartão de Cidadão teve início em fevereiro de 2015, apenas em algumas farmácias do país. O processo é gradual, tem a duração de 6 meses, e deverá estar concluído no início do 2º semestre de 2015.

De acordo com informação disponível no site da Receita Eletrónica, a dispensa da Receita Eletrónica na farmácia pode ser realizada com e sem o Cartão de Cidadão. “As receitas em papel continuarão a existir durante algum tempo. Só quando todas as farmácias, centros e médicos prescritores estiverem preparados, será equacionada a total retirada das receitas em papel. Algumas situações excecionais poderão ditar a continuidade das receitas em papel.”

O processo de desmaterialização da receita médica em Portugal conta com o apoio da Glintt, das Farmácias Portuguesas e é patrocinada pela Mylan, farmacêutica norte-americana líder em medicamentos genéricos.

Siga a AMA no Facebook e no Twitter.