STAPA – Sistema Telefónico de Atendimento Permanente na Amadora
A implementação do STAPA - Sistema Telefónico de Atendimento Permanente regeu-se por uma lógica de otimização de recursos existentes, tendo como principal objetivo melhorar as condições de vida da população sénior em situação de exclusão.
Título
STAPA – Sistema Telefónico de Atendimento Permanente na Amadora

Entidade
Câmara Municipal da Amadora

Entidades parceiras
  • Santa Casa da Misericórdia da Amadora
  • Help Phone

Destinatários/Beneficiários potenciais

População idosa em situação de isolamento social residente no município

Ponto de Situação
A Iniciativa está “em curso”: Trata-se de um projeto que decorre ao longo de todo o ano.

Taxionomia
A iniciativa enquadra-se na categoria: “Serviços ao Cidadão”

Descrição breve
A implementação do STAPA - Sistema Telefónico de Atendimento Permanente regeu-se por uma lógica de otimização de recursos existentes, tendo como principal objetivo melhorar as condições de vida da população sénior em situação de exclusão. Na sua génese esteve o conhecimento do elevado número de idosos em situação de isolamento social e carência económica residentes no município e a existência de várias instituições com resposta de Serviço de Apoio Domiciliário que poderiam, no âmbito da sua atuação, sinalizar as situações mais prementes, proporcionando o acesso a uma resposta adequada e eficaz.

Descrição pormenorizada
O STAPA - Sistema Telefónico de Atendimento Permanente é um Serviço de teleassistência, disponível 24 horas por dia, 365 dias por ano, para os residentes no município da Amadora, com mais 65 anos ou que se encontrem em situação de dependência temporária ou permanente. O aparelho com intercomunicador é instalado, gratuitamente, no telefone da rede fixa da sua habitação. Ao beneficiário é fornecido um botão de controlo remoto (pulseira ou colar) que lhe permite acionar o serviço que está sempre ligado à central de assistência e só funciona no interior da sua habitação.

Para aceder ao STAPA deve ser preenchida uma ficha de utente e anexar os seguintes comprovativos:
• Segurança Social, (Pensão anual);
• Rendimentos do agregado (IRS, Pensão, Trabalho, etc…);
• Despesas fixas do agregado (renda, despesas com medicamentos para doença crónica, frequência em
equipamentos).

E os documentos:
• Identificação do beneficiário e pessoa de referência;
• Termo de responsabilidade assinado no ato da instalação do STAPA.

Os beneficiários deste serviço têm direito a:
• Atendimento e acompanhamento de situações de emergência como quedas, doença súbita e outras;
• Envio urgente de serviços médicos de urgência, INEM, PSP e Bombeiros;
• Acionar Linha Municipal de Saúde, em caso de ser portador do Cartão 65 +;
• Contato com familiares ou pessoas de referência;
• Serviço Voz Amiga para combater a solidão e o isolamento;
• Serviço de Alerta que recorda a toma de medicação e as datas das consultas;
• Indicação de hospitais, clinicas e farmácias de serviço;
• Aconselhamento telefónico sobre o que fazer em determinadas situações ou doenças;
• Felicitações de aniversário.

Custo do serviço
Após a entrega dos documentos é feita uma avaliação socioeconómica de acordo com o rendimento per capita do agregado familiar. Este serviço é gratuito quando o rendimento é inferior ao Indexante de Apoios Sociais (IAS). Para rendimentos superiores a autarquia comparticipa uma percentagem de acordo com tabela de comparticipações em vigor.

As principais dificuldades encontradas na implementação do projeto foram essencialmente as seguintes:
  • Resistência à mudança e adaptação a nova tecnologia – Numa primeira fase de implementação, houve alguma resistência por parte da população sénior em aderir ao projeto, pela novidade que os equipamentos traziam para muitos seniores e também por estes desconhecerem as vantagens que poderiam ter com a sua instalação.

Tecnologia
O projeto consubstancia-se através da utilização de equipamentos de teleassistência, instalados no domicílio dos munícipes. O aparelho com intercomunicador é instalado, gratuitamente, no telefone da rede fixa da habitação. Ao beneficiário é fornecido um botão de controlo remoto (pulseira ou colar) que lhe permite acionar o serviço que está sempre ligado à central de assistência e só funciona no interior da sua habitação. O fornecedor dos equipamentos é uma empresa externa – HELP PHONE.

Recomendações
Descrição de algumas recomendações e orientações que se podem dar às entidades que queiram implementar esta Iniciativa (com destaque dos pontos fortes e indicação dos critérios mais pertinentes para a obtenção do sucesso).

Próximas Acções
Outras informações complementares que indiquem quais as próximas acções de desenvolvimento e/ou disseminação da Iniciativa.

Ponto de Contacto
Ana Moreno – Chefe da Divisão de Intervenção Social
Telefone: 214369053
E-mail: ana.moreno@cm-amadora.pt

Site
http://www.cm-amadora.pt/idosos/300-teleassistencia-stapa-sistema-telefonico-de-assistencia-permanente

Resultados
O STAPA está implementado no município da Amadora desde 2007.Existem neste momento (até setembro 2015) 261 aparelhos instalados. O número de instalações tem vindo a aumentar anualmente, o que indica uma necessidade crescente de encontrar respostas para as situações de isolamento social da população sénior do município.

Última atualização: 30-10-2015