RICÁgueda - Rede de Inovação e Competitividade em Águeda
Com o objectivo de dinamizar a participação dos agentes empresariais e institucionais locais na criação de uma rede formal de cooperação que ajude a ultrapassar as dificuldades competitivas das empresas concelhias e de maximizar as suas potencialidades, pela via da inovação, a Câmara Municipal de Águeda lançou em 2008 o projecto RICÁgueda. Com uma duração de 12 meses, a iniciativa teve por base uma parceria entre a autarquia e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), no âmbito do Programa iCentro - Programa Regional de Acções Inovadoras da Região Centro de Portugal, aprovado pela Comissão Europeia.

Iniciativa: RICÁgueda - Rede de Inovação e Competitividade em Águeda
Entidade: Câmara Municipal de Águeda
Entidades parceiras: Universidade de Aveiro (UA), a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda (ESTGA), a Associação Empresarial de Águeda (AEA), a Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins (ABIMOTA) e várias empresas que integraram o Comité de Trabalho do processo
Destinatários/Beneficiários potenciais: Empresas e Associações Empresariais
Categoria: Serviços ao Cidadão
Ponto de Situação: O processo foi concluído e deu origem a outra iniciativa designada por LIGHTING LIVING LAB que já está integrada na European Network of Living Lab’s. Para além desta iniciativa, outras estão a decorrer prevendo-se que sejam consolidadas a breve prazo.
Custos envolvidos: 68.000€
Site: www.cm-agueda.pt/ricagueda

Nada melhor para compreender o processo do que referir as acções desenvolvidas:

Acções especificadas na candidatura

Acção A.1. Conferência de Abertura do Projecto

No âmbito da acção A.1. destaca-se o envolvimento da equipa de projecto na mobilização dos empresários e representantes de organizações e instituições ligadas ao sistema científico e tecnológico regional para participarem nesta iniciativa e ainda na preparação e organização do evento propriamente dito, realizado em 15 de Janeiro de 2008.

Os objectivos foram cumpridos na totalidade. O sucesso desta iniciativa pode ser medido em termos do número de participantes, num total de 120, maioritariamente de empresas, superando largamente o indicador estabelecido na candidatura (50).

Acção A.2. – Workshops Temáticos

As actividades desenvolvidas no âmbito desta acção resultaram na preparação e organização de um ciclo de quatro workshops temáticos, realizados durante o mês de Abril de 2008.

Será de evidenciar o trabalho prévio que conduziu à escolha dos temas para os workshops e que consistiu na realização de reuniões de trabalho e entrevistas a um número significativo de empresas e a elementos da universidade e de organizações concelhias. Os temas escolhidos e debatidos foram: Eficiência Energética; Formação para a Gestão; Inovação e Desenvolvimento de Novos Produtos e Marketing Internacional.

Destaque ainda para a capacidade de mobilização e nível de participação dos empresários. Participaram, em média, 30 pessoas nas sessões de trabalho, maioritariamente empresários. Resultaram destas sessões várias ideias de potenciais projectos colaborativos a desenvolver pela RIC.

A equipa de projecto procurou e continuou a dar vida às redes de contactos criadas, fazendo uso delas para partilhar informações de interesse comum e estimular a capacidade de agir em rede.

Acção A.3. Seminário “Inovação em tempos de crise: o quê, para quê, como?”

Esta Acção foi particularmente estimulante para a equipa de projecto pelas características singulares de que se revestiu e pela forma como foi acolhida pelos participantes e público-alvo a que se dirigia, empresários e gestores de topo.

Destaque para a interacção criada com o consultor em inovação, convidado pelas suas qualidades científicas e de comunicação, as quais contribuíram, de forma decisiva, para o sucesso desta iniciativa. A escolha oportuna do tema, a sua justificação à luz dos objectivos do projecto e o tipo, formato e organização da sessão, foram aspectos igualmente importantes e valorizados por todos os intervenientes.

A afluência de empresários, 19 no total, excedeu o número máximo de participantes (15) estipulado pela equipa de projecto para esta sessão. A avaliação global do grau de satisfação dos participantes foi muito boa, confirmando as vantagens e benefícios deste tipo de iniciativa como forma de instigar e fortalecer a rede de relações e a partilha de ideias em torno dos temas da inovação e competitividade.

Acção A.4. Certame de Inovação

No âmbito desta acção destaca-se o esforço da equipa de projecto na realização de dois momentos marcantes do ponto de vista da participação, da divulgação, da disseminação de resultados e da reflexão proporcionada em torno de questões chave para a inovação e competitividade das empresas e região. São eles: a Conferência de Divulgação de Resultados do Projecto e a Exposição de Resultados de Projectos Empresariais e de Produtos e Soluções Inovadoras das Empresas de Águeda.

Por motivos de conciliação de agenda de alguns dos principais protagonistas do projecto e de oradores convidados para o evento final, ambas as iniciativas ocorreram em Janeiro de 2009, prevendo-se que a Exposição permaneça aberta por um período significativo.

O esforço de promoção da Exposição junto da comunidade empresarial aguedense resultou na manifestação de interesse por parte de dez empresas de diferentes sectores de actividade, apresentando propostas que se destacam ao nível do produto, do design e dos processos produtivos.

Destaque, ainda, para os esforços desenvolvidos pela equipa de projecto na preparação de suportes de divulgação e disseminação dos resultados do projecto, em formato digital (cd-rom), em livro (duas publicações) e em poster (seis posters), a apresentar no evento final.

Acções complementares

De seguida, descrevem-se as actividades e resultados obtidos no âmbito de outras acções complementares às que surgem especificadas na candidatura, mas que se revelam igualmente importantes para o cumprimento dos objectivos do projecto.

Acção C.1. Compreensão da estrutura empresarial aguedense

A equipa de desenvolvimento do projecto procurou identificar as fileiras produtivas mais representativas da economia concelhia, através da análise de estudos e fontes documentais existentes sobre a estrutura produtiva do concelho e das bases de dados disponíveis das empresas de Águeda.

Identificaram-se dois grandes grupos de actividades, um ligado à fabricação de produtos e equipamentos de habitação, outro ligado à fabricação de veículos de duas e quatro rodas. Dentro destes, foram identificados vários outros subgrupos de actividades com representatividade no concelho. Esta compreensão foi útil para a selecção de um conjunto de empresas tipo a entrevistar, debaixo de cada um dos grupos de actividades considerados.

Acção C.2 Identificação e recolha de casos de sucesso de Inovação

Destaque para os esforços realizados na pesquisa, identificação, recolha e análise de informação sobre experiências e casos de inovação ao nível do concelho e região. Isto implicou a realização de algumas reuniões e entrevistas com empresas e o tratamento da informação recolhida para publicar e divulgar.

Foram analisados 10 casos de sucesso de inovação empresarial, em vários domínios: Artinox, SA, Bosch Termotecnologia SA, Climar – Indústria de Iluminação SA, HFA- Henrique, Fernando e Alves, Lda, Metalúrgica do Levira SA, Martifer Energia - Equipamentos para a Energia SA, Oliveira & Irmão SA, Polisport – Pedro & Paulo Araújo – Plásticos SA, PT Inovação, SA e Revigrés, SA.

Analisaram-se ainda dois casos de sucesso de redes de cooperação para a inovação, com impacto regional: a AveiroDomus – Associação para o desenvolvimento da Casa do Futuro e a Inova-Ria, Associação de Empresas para uma Rede de Inovação em Aveiro.

Esta informação deu origem a uma publicação a distribuir no evento final do projecto.

Acção C.3 Identificação de dificuldades e desafios competitivos das empresas de Águeda

Com o objectivo de dinamizar a participação dos agentes empresariais e institucionais locais na criação da RIC e na definição de projectos que sirvam os interesses das empresas de Águeda, foram realizadas várias reuniões individuais com os representantes máximos das empresas e organizações consideradas relevantes para o projecto.

Foram realizadas cerca de 40 reuniões presenciais junto de empresas concelhias e instituições como a UA/ESTGA, APIFER; AICEP; CCDRC; AIDA, LIQ e IAPMEI.

Essas reuniões tiveram por base um guião de entrevista, com os seguintes tópicos: dar a conhecer os propósitos e os benefícios do projecto; conhecer as dificuldades competitivas da (s) empresa (s) / sector (es); conhecer as oportunidades de cooperação que identificam; recolher ideias de projectos interessantes a desenvolver pela RICÁgueda; e identificar outras empresas que considerariam interessantes envolver.

Acção C.4 Criação de um repositório de ideias de potenciais projectos colaborativos

Foi criado um repositório de ideias inovadoras, potencialmente interessantes para suportar a configuração de projectos colaborativos em rede. Este repositório foi criado com base nos resultados das reuniões com empresas e outras organizações concelhias e alimentado com os contributos gerados no ciclo de workshops temáticos.

Mais de 100 ideias fazem parte deste repositório, as quais foram organizadas e classificadas por categoriais para facilitar a sua avaliação, selecção e eventual recombinação.

Acção C.5 Definição de Projectos e Acções Concretas a Desenvolver pela RIC

A equipa de projecto apoiou o processo de idealização e definição de projectos colaborativos que respondem às dificuldades e desafios competitivos que as empresas e instituições ajudaram a detectar. Foi feito um trabalho de investigação para apoiar a concretização dos projectos recorrendo a fontes de informação relevante.

Foram identificados e definidos 11 projectos inovadores. Seis desses projectos foram aprofundados e deram origem a parcerias concretas, envolvendo a universidade, empresas, associações empresariais e o governo local. Mais de 25 entidades, empresariais e institucionais, estão activamente envolvidas nesses processos, centrados na promoção da competitividade baseada na inovação.

Os seis projectos que resultaram da RIC, abordam temas tão diversificados como a eficiência energética; a inovação e o desenvolvimento de novos produtos em áreas específicas; a criação de um laboratório vivo de investigação e inovação; a formação para a inovação e a certificação ao serviço da inovação.

Foram dinamizadas várias reuniões com os líderes e parceiros dos projectos considerados mais promissores, com o objectivo de formalizar processos de parceria e, nalguns casos, de trabalhar conceptualmente os projectos de modo a viabilizar processos de candidatura a fontes de financiamento actualmente disponíveis no âmbito do QREN.

Destaque para a preparação da candidatura do projecto Lighting Living Lab, aprovada em Novembro de 2008, para inclusão na EnoLL - rede europeia de Living Labs.

Acção C.6 Divulgação e Comunicação do Projecto

A equipa de projecto identificou, concebeu e desenvolveu diferentes mecanismos de divulgação e comunicação do projecto e de disseminação dos seus resultados.

Foi criado e permanentemente actualizado o Site Web do projecto. Foram elaborados documentos powerpoint de apresentação e divulgação do projecto. Foram criados suportes promocionais do projecto e de cada um dos eventos realizados: folhetos, convites, programas.

Foi criado um dossier de Imprensa que inclui mais de duas dezenas de artigos jornalísticos e notas de imprensa, muitas delas preparadas pela equipa de projecto para cada um dos momentos de participação realizados, disponibilizadas no site Web do projecto.

Foram realizadas duas publicações em revista e duas publicações em livro, com os principais resultados das actividades do projecto e um CD-ROM, com a mesma informação. Finalmente, foram elaborados seis posters A0 para divulgação dos projectos colaborativos que resultaram desta iniciativa.

Acção C.7 Participação em Eventos com interesse para o projecto

A equipa de projecto identificou e participou em três eventos de âmbito nacional, com relevância para as actividades desenvolvidas no âmbito do projecto: SINOTEC (Salão Internacional de Inovação e Tecnologias para a Indústria); "Innovation Marketplace/Forum Inovjovem" e II Conferência Internacional QSP 2008 - “How Can Marketing Innovate?”.

Como resultados essenciais da participação nestes eventos, destacam-se os seguintes:
  • Acesso a conhecimento novo sobre casos de sucesso de inovação nas áreas do marketing e da diferenciação de produtos;
  • Estabelecimento de contactos com personalidades que investigam e trabalham nas áreas da inovação em vários domínios;
  • Acesso a informação documental sobre fontes e instrumentos de financiamento à inovação no âmbito do 7º PQ e do QREN;
  • Percepção dos desafios que se colocam do ponto de vista da organização de eventos de dimensão e características semelhantes ao certame de inovação;
  • Identificação de empresas e organizações que podem ser úteis contactar no âmbito das acções do projecto;
  • Ideias que podem ajudar a configurar algumas acções do projecto.
Acção C.8 Compreensão e Interpretação dos eixos prioritários do QREN

Foi preparado um documento de interpretação do QREN. Este documento tem um carácter operativo, de fácil manuseamento e sistematiza os três sistemas de incentivos de apoio às empresas, no âmbito do PO de Factor de Competitividade do QREN. Foi feito um exercício complementar de análise dos vários projectos colaborativos identificados à luz das oportunidades de financiamento proporcionadas pelo QREN.

Acção C.9 Instrumentos de acompanhamento e avaliação do projecto

A equipa de projecto identificou e aplicou um conjunto de instrumentos especialmente úteis para a gestão e avaliação das actividades desenvolvidas e do projecto.

Destaca-se a metodologia designada de Etapa-Portão, instrumento de gestão que acompanhou todo o trajecto da equipa operativa, permitindo o cumprimento de objectivos, a realização de balanços frequentes, o encorajamento de reorientações do processo e o planeamento e monitorização de actividades de forma eficaz.

Esta metodologia pressupôs o estabelecimento de ‘Etapas’ de desenvolvimento das actividades e ‘Portões’, momentos de avaliação dos resultados dessas actividades e de definição do que se vai fazer a seguir. Foram realizadas reuniões “de portão” avaliação com uma periodicidade mensal, sensivelmente.

Recomendações

A área em que se desenvolveu este projecto tem toda a pertinência para alterar mentalidades e comportamentos da indústria nacional, com especial incidência no caso das PME’s. Juntar as três vertentes da Triple Helix (poder local, Empresas e Universidade) é fundamental para romper barreiras de comunicação e fomentar a troca de experiências e de conhecimentos que importa a todos os intervenientes do processo.

Próximas Acções

Está já a decorrer o LIGHTING LIVING LAB (LLL) que se fundamenta na participação das empresas, da Universidade, do Município, das Associações Empresariais potenciando a utilização da Smart Energy.

Outros projectos estão a ser desenvolvidos: na área da reciclagem de formação para licenciados sem colocação; na área da participação pública, etc. 

Anexos

Recortes de notícias:
Ponto de Contacto

Marlene Marques
Responsável pelo Gabinete de Organização, Planeamento e Modernização Administrativa
Câmara Municipal de Águeda
Tel.: (+351) 234 610 070
marlene.marques@cm-agueda.pt  
ricagueda@gmail.com
 

 Última Actualização: segunda-feira, 26 de Abril de 2010