Programa Mentores para Migrantes
O Programa de Mentores para Migrantes é uma iniciativa que, através do voluntariado, promove experiências de troca, entreajuda e apoio entre cidadãos. Permite o conhecimento mútuo, em que as diferenças se esbatem na resolução das mesmas dificuldades, preocupações e desafios do dia-a-dia.
Trata-se simultaneamente de uma medida de acolhimento e integração de imigrantes (cidadãos não nacionais a residir em Portugal) e de emigrantes (cidadãos nacionais que queiram voltar a residir em Portugal).
É um programa promovido pelo Alto Comissariado para as Migrações, IP e desenvolvido, por todo o país, por um conjunto de parceiros locais.

Título
Programa Mentores para Migrantes
Entidade
Alto Comissariado para as Migrações, I.P. (ACM, I.P.)
Entidades parceiras
Município de Figueira de Castelo Rodrigo
Associação de Solidariedade Social do Alto da Cova da Moura
Município Torres Vedras
Município de Santarém
Associação STREET’S SOUL
Município de Vila Real
Município de Ovar
Associação Cultural Moinho da Juventude
Município de Góis
Município de Alcanena
CooLabora, CRL
Município da Covilhã
Pressley Ridge
Fundação Aga Khan
Município da Trofa
Município da Amadora
Círculo de Saberes
Associação da Casa da Guiné Bissau em Coimbra
Associação Integrar
Município do Fundão
AJPAS - Associação de Intervenção Comunitária, Desenvolvimento Social e de Saúde
Município de Miranda do Douro
Associação para o Desenvolvimento Integrado de Ermesinde
Instituto Politécnico do Porto
Associação de Apoio ao Estudante Africano
Município de Lisboa
Município de Oliveira do Hospital
RUMO - Cooperativa de Solidariedade Social
Município de Madalena do Pico
Município de Portimão
Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial
Município de Vila de Rei
Atlas, Cooperativa Cultural
Centro Comunitário São Cirilo
Município do Redondo
Município do Sabugal
PSI-ON
Raízes – Associação de Apoio à Criança e ao Jovem
SOPRO - Solidariedade e Promoção
Município Cartaxo
Município de Alenquer
Município de Odivelas
AGUINESO
AGIR XXI
CEPAC
Concretizar
Solfraterno- Projeto Quarto Crescente
Município do Seixal
D 115 CS do Lions Internacional
Município de Armamar
Município de Oeiras

Empresa que desenvolveu a tecnologia do Programa
LINKARE TI

Destinatários/Beneficiários potenciais
O Programa Mentores para Migrantes destina-se a mentores - voluntários com capacidade para orientar e acompanhar migrantes e que, a partir das suas competências pessoais e experiência diária, enquanto cidadãos e/ou profissionais, facilitam o seu processo de integração no nosso país - e a mentorados - cidadãos migrantes que procuram apoio, orientação para os desafios do dia-a-dia e/ou para a resolução de uma necessidade específica e com abertura para o apoio e acompanhamento voluntário de alguém.
Sendo a mentoria um processo de enriquecimento mútuo (win-win) é, para ambos, um exercitar das suas competências de cidadania, abertura e diálogo intercultural e, para os migrantes, constitui ainda mais uma resposta para a resolução das suas necessidades, sonhos, desejos, anseios.
Do ponto de vista das entidades envolvidas – empresas, parceiros – o programa é mais uma ferramenta de apoio a migrantes e as entidades veem também nesta experiência uma oportunidade de enriquecimento pessoal dos seus colaboradores e do ambiente e da cultura organizacional.

Ponto de Situação
Projecto-piloto (concluído):
O ENGAGE - Projecto Mentores foi um projecto-piloto, nascido em finais de 2012 através de uma parceria entre este Alto-Comissariado e o GRACE – Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial, que criou uma nova forma de apoio à integração de imigrantes para facilitar a sua inclusão social envolvendo activamente toda a sociedade nesse processo.
Nos dois anos de duração deste projecto-piloto, completaram-se no total 31 processos de mentoria a imigrantes. Dos processos concluídos, 9 são na área da qualificação e procura de emprego (43%), 4 na área do empreendedorismo (20%), 3 na da Cidadania, Participação e Direitos Humanos e Interculturalidade (14%) e 5 em áreas diversas, como tempos livres e informações gerais (23,8%). A partir da avaliação dos participantes constata-se que todos eles fazem uma avaliação global do projecto muito positiva ou positiva. Os cidadãos imigrantes reconhecem que melhoraram as suas condições e ganharam competências úteis para a sua vida pessoal e profissional.

Alargamento e disseminação (em curso):
A experiência decorreu com um sucesso qualitativo substancial, com um forte impacto para os participantes (imigrantes e seus/suas mentores/as), pelo que, em finais de 2014, se considerou ser o momento ideal para envolver novos atores e expandir esta iniciativa.
Decorrida a experiência procedeu-se a uma divulgação do projecto, sua metodologia e pressupostos, na qual foram mobilizados municípios e outras entidades parceiras (empenhados em fazer mais e melhor no âmbito das medidas de intervenção no acolhimento e integração dos migrantes em Portugal) lançando o desafio de participar na rede de implementação do Programa Mentores para Imigrantes.
O Programa Mentores viu a sua capacidade alargada chegando a mais mentores e a mais mentorados através de um plano de disseminação junto de entidades parceiras que inclui formação, partilha de experiências, materiais e uma plataforma informática de gestão a nível nacional.
Em Outubro de 2014 foi criada uma rede a nível nacional (neste momento com 50 entidades), coordenada pelo ACM, I.P. que cede apoio técnico em formação, materiais de divulgação e instrumentos de implementação.
Esta rede de entidades funciona através de uma plataforma informática de gestão – https://mentores.acm.gov.pt – ferramenta a partir da qual se procede à divulgação, inscrição, manutenção, acompanhamento e avaliação dos processos de mentoria desencadeados.
Já em meados deste ano, este Programa sofreu mais um alargamento no âmbito da sua missão, passando a contemplar o acompanhamento e apoio ao regresso de emigrantes, ampliando assim a sua resposta.
Este alargamento teve como base o cumprimento do designado no Decreto-Lei nº31/2014 que consagra a criação do Alto Comissariado para as Migrações, IP e expressa a adequação da orgânica deste Instituto a uma política migratória moderna nele expressa. E no Plano Estratégico para as Migrações – PEM - (Resolução do Conselho de Ministros nº 12 – B/2015, de 20 de março), que assenta num conjunto de eixos políticos prioritários desenhados a pensar numa coordenação integrada dos fluxos migratórios.
Nasce assim o Programa Mentores para Migrantes, etapa em que agora se encontra.
Os sucessivos alargamentos e a sua implementação, através do voluntariado e/ou da responsabilidade social, constitui-se cada vez mais, como um exemplo de interculturalidade e de participação cívica na construção de uma sociedade mais coesa onde todos/as tenham lugar.
Até ao momento estão envolvidos neste programa: 223 mentores e 127 mentorados. Já decorreram 32 processos, 21 dos quais estão em curso e 11 já terminaram.

Custos envolvidos
- Na sua fase piloto (desenho do projecto e metodologia, desenvolvimento dos materiais de apoio e disseminação) o projeto obteve financiamento do Fundo Europeu para a Integração de Nacionais de Países Terceiros (FEINPT).
- Na atual fase, não havendo financiamento às entidades parceiras, os custos cingem-se a actividades pontuais e de divulgação.

Taxionomia
Política pública no âmbito da inclusão social, a igualdade de oportunidades e a valorização da diversidade entre culturas, etnias e religiões.

Descrição breve
O Programa de Mentores para Migrantes é uma iniciativa que, através do voluntariado, promove experiências de troca, entreajuda e apoio entre cidadãos. Permite o conhecimento mútuo, em que as diferenças se esbatem na resolução das mesmas dificuldades, preocupações e desafios do dia-a-dia.
Trata-se simultaneamente de uma medida de acolhimento e integração de imigrantes (cidadãos não nacionais a residir em Portugal) e de emigrantes (cidadãos nacionais que queiram voltar a residir em Portugal).
É um programa promovido pelo Alto Comissariado para as Migrações, IP e desenvolvido, por todo o país, por um conjunto de parceiros locais.

Descrição pormenorizada
O Programa Mentores para Migrantes é uma medida de política pública para a integração dos migrantes na sociedade portuguesa desenvolvido pelo ACM, IP que tem como objectivos o envolvimento da sociedade portuguesa (nomeadamente, voluntários/as) no processo de acolhimento e integração dos migrantes, a criação de espaços de encontro e experiências de partilha (através da mentoria) para a sensibilização para a riqueza da diversidade e promoção do diálogo intercultural.
Tal como já foi referido, resulta de uma experiência-piloto de parceria entre este Alto-Comissariado e o Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial (GRACE) que passou para uma fase de disseminação e alargamento dos parceiros para uma implementação e alargamento a nível nacional.
Na prática, o Programa só funciona com base no interesse, motivação e envolvimento dos/as voluntários/as (cujos testemunhos estão disponíveis num vídeo integrado nos anexos) e para dar resposta às necessidades apresentadas pelos migrantes.
É, pois uma medida assente num modelo inovador de acolhimento e integração dos migrantes na qual as entidades envolvidas neste processo vão ao encontro das suas necessidades directas convocando, de forma muito concreta, a própria sociedade de acolhimento.
Na prática, através do estabelecimento de relações de mentoria, permite-se fomentar a criação de espaços e experiências de encontro e entreajuda entre cidadãos/ãs portugueses/as e cidadãos migrantes com vista a um enriquecimento pessoal, social e organizacional.
Através da utilização do conceito de mentoria, o projecto baseia-se num encontro entre as necessidades dos mentorados e os conhecimentos e características do mentor, em que se promove uma correspondência de perfis.
Os encontros são presenciais, numa base informal, podendo ser prestado apoio em áreas bastante diversificadas – desde o aprofundamento da língua e cultura portuguesa como a qualificação e a procura de emprego ou o empreendedorismo.
Os mentores são voluntários que partilham os seus soft skills e redes, e os mentorados são cidadãos migrantes que precisam de apoio e acompanhamento para resolver uma ou mais necessidades específicas.
A sua implementação, através do voluntariado e/ou da responsabilidade social, constitui-se como um exemplo de interculturalidade e de participação cívica.

Tecnologia
Para inscrição de participantes e gestão do processo de matching por parte das entidades foi desenvolvida uma ferramenta online suportada numa plataforma de Portal Liferay.
Sendo uma tecnologia baseada em normas abertas e open source permite garantir a independência face aos fabricantes de software e a facilidade de integração com sistemas de terceiros e com futuros desenvolvimentos. A solução permite, ainda, responder, em termos de arquitectura, a requisitos que tornem a aplicação, do lado do cliente, multiplataforma, multibrowser e multissistema, estando estas funcionalidades de acordo com standards do mercado.
Em concreto, foi desenvolvida tendo em conta as tecnologias que aqui se elenca: Liferay 6.1 CE, Tomcat 7, MySQL 5.5, Oracle JVM 1.7, Red Hat Linux, Theme and Layout Templates, AlloyUI, Portlet Applications (Liferay Faces Bridge), Service Builder, Service Context, Security and Permissions, Friendly URLs, Message Bus. E ainda outras, tais como HTML5, CSS3, AJAX, Javascript, jQuery, JSON, AUI, Bootstrap, JSF, Primefaces 3.5, XML, Webservices, Velocity, Servlet,  Hibernate, Flying Saucer, Lucene.
 
 Tem o seu alojamento em infra-estrutura da AMA, IP.

Recomendações
- Trata-se simultaneamente de uma medida de acolhimento e integração de migrantes – através de mentores voluntários que os apoiam em diferentes áreas – e de sensibilização ao diálogo intercultural, participação e voluntariado junto da sociedade de acolhimento.
- Considera-se um instrumento útil ao trabalho que se vem prestando aos migrantes porque permite ir mais longe neste compromisso, complementando e reforçando as actividades das entidades que trabalham nesta área e que permitirá incrementar as lógicas locais de participação cívica, voluntariado e responsabilidade social empresarial.
 - Pela riqueza que esta experiência promove é também uma forma de sensibilizar para o diálogo intercultural, a participação e o voluntariado na sociedade.
- Trata-se de uma lógica low cost, que utiliza recursos humanos (voluntários ou outros técnicos já envolvidos) e financeiros já existentes nas entidades em que o Programa de Mentores para Migrantes funciona.

Próximas Acções
 - Encontro Anual do Programa Mentores para Migrantes: Balanço (1 ano depois) e alargamento da estratégia (a realizar em Outubro / Novembro) com a assinatura do(s) primeiro(s) protocolo(s) com entidades estrangeiras que possam vir a intervir directamente como emigrantes.
- Lançamento de novas iniciativas e campanhas de dinamização e crescimento da rede.
- Estudo da viabilidade e aprofundamento da articulação e estreitamento com organizações de outros países europeus que também usam a metodologia (mentoria para migrantes).
- Dar seguimento ao acompanhamento que é feito às entidades para alargarem a sua capacidade de resposta local.
- Dar seguimento à disseminação para continuar a alargar a rede de parceiros (por tipo de organização e destinatários).

Ponto de Contacto
Cristina Casas - contactos: e-mail: cristina.casas@acm.gov.pt; telefone: 21 810 61 07;
Bárbara Duque – Contacto: e-mail: barbara.duque@acm.gov.pt; telefone 21 810 61 67.

Anexos


Material formativo e de apoio às entidades – WEBTUTORIAIS: COMO IMPLEMENTAR (PASSO-A-PASSO)]:

Site
Identificação do site da entidade onde se encontra informação sobre a Iniciativa, caso exista.
http://www.acm.gov.pt/-/programa-de-mentores-para-imigrantes#
https://mentores.acm.gov.pt

Resultados
Descrição dos resultados da Iniciativa, caso a mesma já esteja concluída. Se tal não for o caso, referir os resultados esperados com a implementação da Iniciativa.
Ver resultados do projecto-piloto (qualitativos e quantitativos) e dados estatísticos à data no campo ponto de situação.