Oeiras PRO - Projecto de Responsabilidade Social
O Projecto “Oeiras PRO- Projecto de Responsabilidade Social das Organizações”, cuja Parceria de Desenvolvimento (PD) foi constituída pela Câmara Municipal de Oeiras, Instituto da Soldadura e Qualidade, LPDM- Centro de Recursos Sociais e pela Fundação Marquês de Pombal foi co-financiado pelo Programa de Iniciativa Comunitária EQUAL e delineado na tentativa de dar resposta a algumas necessidades sentidas a nível da promoção e implementação da responsabilidade social nas organizações e, particularmente, na área do emprego e formação profissional, bem como da empregabilidade de grupos em risco de exclusão social.

Iniciativa: Oeiras PRO - Projecto de Responsabilidade Social
Entidade: Câmara Municipal de Oeiras
Entidades parceiras: Instituto de Soldadura e Qualidade; Fundação Marques de Pombal; LPDM - Centro de Recursos Sociais; Câmara Municipal de Abrantes; Parkurbis- Parque de Ciência e Tecnologia da Covilhã, S.A.; Fundação LIGA; e TAGUSVALLEY – Associação para a Promoção e Desenvolvimento do Tecnopólo do Vale do Tejo
Destinatários/Beneficiários potenciais: Dirigentes, quadros e trabalhadores das empresas dos sectores privado e cooperativo; dirigentes, quadros e trabalhadores das organizações não lucrativas (IPSS, ONG’s); Administração Local; e pessoas em risco de exclusão social e profissional
Categoria: Serviços ao Cidadão
Ponto de Situação: Concluído. O projecto teve início no dia 12 de Janeiro de 2005 e terminou a 30 de Junho de 2009.
Site: www.cm-oeiras.pt  ou www.oeiraspro.org  


Desta forma, foram definidos cinco objectivos:
  • Promoção da integração da RSO nas ferramentas de gestão organizacional, através da criação do Centro para a Responsabilidade e Inovação Organizacional (CRIO);
  • Partilha e difusão de conhecimento em RSO no âmbito do Observatório;
  • Teste e adequação de ferramentas de RSO no âmbito do Laboratório;
  • Valorização e melhoria das competências sócio-profissionais dos destinatários do projecto e entidades da PD; e
  • Partilha e transferência de competências em RSO entre as PD’s de Projectos EQUAL nesta temática.
O CRIO pretendeu constituir-se como uma estrutura flexível de promoção, realização, partilha e disseminação de práticas de RSO e como um instrumento de mediação entre as necessidades de recursos humanos e das necessidades de empregabilidade.

O Observatório, enquanto instrumento de trabalho do CRIO, visou a recolha das práticas concelhias de RSO e o Laboratório procurou promover, testar e validar produtos e realizar práticas inovadoras de RSO.

A Plataforma de Comunicação e Conhecimento de RSO e o Plano de Comunicação foram componentes fundamentais de suporte à execução do projecto, constituindo-se ainda como recursos técnico-pedagógicos a Metodologia de implementação do CRIO, o Manual para a Constituição de Redes de Responsabilidade Social Manual de Comunicação e o Kit de RSO.

Ao longo de todo o Projecto existiu uma aposta na sensibilização/reflexão acerca de RSO com os destinatários finais e entidades da Parceria de Desenvolvimento.

Para a plena concretização e sucesso das actividades o projecto utilizou mecanismos que assegurassem a igualdade de oportunidades e o empowerment de todos os agentes envolvidos no Projecto.

Tecnologia

O Projecto criou a Plataforma de Conhecimento em Responsabilidade Social das Organizações que reúne, para além da descrição das actividades desenvolvidas pelo Projecto e acesso aos produtos do mesmo, um conjunto de recursos de apoio ao desenvolvimento de políticas/ práticas de Responsabilidade Social pelas organizações.

Esta Plataforma integrou, na sua concepção, preocupações de Responsabilidade Social, uma vez que tem uma componente de acessibilidades para pessoas com deficiência visual, componente esta que foi testada com elementos da Associação Portuguesa para o Ensino de Cegos (APEC).

A Plataforma tem um cariz inovador uma vez que todas as condições de acessibilidade foram construídas com base no software flash (usualmente este tipo de componentes é construído sobre linguagem html), o que, para além de garantir as condições de acessibilidade para pessoas com deficiência visual, torna a Plataforma visualmente mais atractiva para quem não tem este tipo de limitações.

Recomendações

A Metodologia de implementação do Centro para a Responsabilidade e Inovação Organizacional e o Manual para a Constituição de Redes para a Responsabilidade Social contêm toda a análise necessária para as entidades que pretendam desenvolver um Projecto deste tipo.

Anexos

Notícia: “Sessão de Abertura do Seminário Transnacional do Projecto Oeiras PRO”, in portal da Câmara Municipal de Oeiras, 19 de Junho de 2006.

Resultados

O Centro para a Responsabilidade e Inovação Organizacional (CRIO), criado no âmbito do projecto “Oeiras PRO”, foi inaugurado no dia 16 de Maio de 2007. O CRIO funciona no Parque de Ateliês da Quinta do Salles, em Carnaxide, e é uma estrutura de apoio às organizações do Concelho ao nível da consultoria nas diversas temáticas da Responsabilidade Social, nomeadamente, na construção de metodologias e instrumentos que apoiem as organizações na busca da qualidade dos processos internos e na construção de redes de partilha e de transferência de conhecimentos e práticas. O CRIO prevê, também, apoiar projectos de empreendedorismo.

Como resultado das actividades desenvolvidas no âmbito do Projecto foram concebidos quatro produtos:
  • Kit de Responsabilidade Social (Comunicação e Transparência) – Ferramenta de apoio à gestão organizacional, em organizações de pequenas dimensões, constituída por duas partes: uma de apoio ao diagnóstico e outra de ferramentas de apoio à gestão (checklists de apoio à implementação de actividades, instrumentos de apoio, dicas e recursos de apoio);
  • Manual para a Constituição de Redes de Responsabilidade Social (Envolvimento dos Stakeholders) - Com um enquadramento das questões conceptuais das redes e uma descrição de metodologia testada pelo Projecto Oeiras PRO, visa reforçar a adopção de práticas de Responsabilidade Social por parte de organizações em determinado território, promovendo o estabelecimento de alianças e relações de cooperação e confiança;
  • Manual de Comunicação em Responsabilidade Social para Organizações de Pequena Dimensão (Desenvolvimento de Aptidões e Competências) – Descreve o processo de construção de uma estratégia de comunicação integrada, focando aspectos como: elaboração do diagnóstico da organização, posicionamento da organização e construção de uma estratégia de marketing integrado, requisitos necessários para a elaboração de uma estratégia de comunicação. Destina-se a organizações de pequena dimensão, permitindo-lhes melhorar a comunicação e imagem e aumentar o seu campo de actuação;
  • Metodologia de Implementação do Centro para a Responsabilidade e Inovação Organizacional/CRIO (Inovação) – A narrativa da metodologia de implementação do CRIO é especialmente dirigida a entidades que se constituem como actores chave nos processos de desenvolvimento local e nas dinâmicas territoriais e que pretendem promover redes de cooperação organizacional vocacionadas para a implementação de práticas de responsabilidade social que têm como finalidade mais ampla potenciar a criação e desenvolvimento dos capitais humano e social, com claras implicações a nível da sustentabilidade dos processos de integração sócio-profissional, das organizações e do próprio território.
O “Oeiras PRO” ficou em 31º lugar no ranking do Prémio Projectar Um Novo Futuro, atribuído pela EQUAL no Encontro Nacional e Internacional de Inovação Social, que decorreu entre os dias 10 e 12 de Dezembro 2008, na FIL, em Lisboa.

Ponto de Contacto

Maria Isabel Martins
Câmara Municipal de Oeiras
Tel.: (+351) 214 408 300
maria.martins@cm-oeiras.pt  

 Última Actualização: quinta-feira, 19 de Agosto de 2010