Domiciliação de Cuidados Especializados em Pediatria
O projecto do Hospital Pediátrico de Coimbra resultou da necessidade de assegurar a assistência às crianças com doenças crónicas que, pela grande dependência dos recursos de saúde hospitalares, podem ser sujeitas a um internamento permanente. Nesse sentido, o hospital criou condições para que estas crianças pudessem ser tratadas no domicílio pelos seus próprios pais e por uma rede local de apoio.

Iniciativa: Domiciliação de Cuidados Especializados em Pediatria
Entidade: Hospital Pediátrico de Coimbra
Destinatários/Beneficiários:Todas as crianças com doenças crónicas, com grande dependência de cuidados de saúde, nomeadamente Síndrome de Intestino Curto e Insuficiência Ventilatória Crónica. Esta dependência envolve os familiares, estrutura hospitalar, serviço social, estruturas locais de saúde e ensino.
Categoria: Serviços ao Cidadão
Ponto de Situação: O projecto mantém-se activo no apoio às crianças a quem foi inicialmente aplicado e atento a possíveis novos candidatos.


O Serviço de Medicina do Hospital Pediátrico de Coimbra (HPC) assegura a assistência a várias doenças crónicas que, pela grande dependência dos recursos de saúde hospitalares, levam algumas crianças a internamento permanente. Exemplos paradigmáticos são o "Síndrome de Intestino Curto" (SIC) e a "Insuficiência Ventilatória Crónica" (IVC).

O Serviço de Medicina do HPC conseguiu diminuir a dependência hospitalar destes doentes, criando condições para que estes pudessem ser tratados no domicílio pelos próprios pais. Após o diagnóstico, os pais são precocemente envolvidos na prestação dos cuidados a nível hospitalar, adquirindo competências na monitorização clínica e instrumental.

O Serviço Social e as estruturas locais de Saúde da área da residência da criança são também envolvidos, para que a ida para o domicílio seja realizada com mais apoio. É efectuada a avaliação prévia das condições locais com reuniões multidisciplinares tendo como base o Centro de Saúde da área de residência, mas englobando sempre todas as estruturas locais, tais como a autarquia, estabelecimentos de ensino e os bombeiros, de modo a estabelecer um canal de comunicação fluido com o Hospital.

Após a alta do internamento, o apoio é continuado, muitas vezes com a visita domiciliária pela equipa de saúde hospitalar que faz a avaliação clínica da situação e presta os cuidados necessários, reforçando a cooperação com a equipa local.

Recomendações

O envolvimento precoce dos pais nos cuidados de saúde à criança é fundamental para o início do processo a que se segue o envolvimento da estrutura de saúde local. Manter uma forte motivação familiar e uma estreita relação interinstitucional são factores cruciais.

Próximas Acções

Extensão do mesmo processo a crianças de outras subespecialidades pediátricas.

Resultados
  • Melhoria da qualidade de vida das crianças e das famílias, já que os doentes tornaram-se menos dependentes dos hospitais, as visitas às urgências são menos frequentes e diminuiu o stress dos pais que vivem nestas condições. A maioria das crianças estão escolarizadas e integradas na comunidade;
  • Libertação de camas da unidade de internamento de Medicina do HPC;
  • Estabelecimento de uma rede local de apoio à criança que está a receber o tratamento domiciliário;
  • Fortalecimento de relações interinstitucionais e abertura dos canais de comunicação que poderão ser úteis para o futuro.

Ponto de Contacto

Maria Helena Estêvão
Tel: (+351) 239 480 328
mhestevao@chc.min-saude.pt

Ricardo Pedro Santos Ferreira
Tel: (+351) 239 480 329/337
gastro.hpc@chc.min-saude.pt

 Última Actualização: sexta-feira, 30 de Maio de 2008