Desenvolvimento da Cirurgia do Ambulatório
Incentivar o desenvolvimento da cirurgia em regime de ambulatório, importante instrumento para o aumento da efectividade, da qualidade dos cuidados e da eficiência na organização hospitalar, é a ideia do ULSBA ao implementar o projecto de Cirurgia do Ambulatório, que traz inúmeras vantagens para o utente, uma vez que evita o desconforto do internamento, proporciona o beneficio do acompanhamento dos familiares, possibilita conciliar a recuperação com a actividade familiar/profissional, diminui as listas de espera e reduz o risco de complicações pós-operatórias.

Iniciativa: Desenvolvimento da Cirurgia do Ambulatório
Entidade: Unidade de Cirurgia de Ambulatório da ULSBA – Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, EPE
Destinatários/Beneficiários potenciais: Utentes
Categoria: Serviços ao Cidadão
Ponto de Situação: A iniciativa encontra-se em curso, pois assenta essencialmente na melhoria contínua das práticas de cuidados médicos, de enfermagem e de gestão com o objectivo de proporcionar a satisfação crescente dos utentes. 
Site: www.ulsba.pt  


A preocupação constante da Equipa da Unidade de Cirurgia de Ambulatório, na melhoria continua das práticas de cuidados médicos, de enfermagem e de gestão, que se regem pelos valores que os caracterizam (Empenhamento, competência, compreensão, correcção, rigor, transparência, profissionalismo), leva a que a sua metodologia assente essencialmente no relacionamento interpessoal. Nesta, a comunicação tem um papel de destaque. Assim:
  • Aposta num acolhimento personalizado ao utente;
  • Efectua consulta de enfermagem, onde se prepara o utente para a cirurgia (ensinos, partilha de medos e receios, marca-se data da cirurgia);
  • Efectua um telefonema a todos os utentes nas primeiras 24-48 horas após a cirurgia, no qual se reforçam ensinos relativamente á mobilização, alimentação, cuidados com o penso, retorno às actividades habituais e controlo da dor, pergunta-se o estado de saúde e faz-se esclarecimento de dúvidas;
  • Entrega aos utentes um questionário de avaliação de cuidados pré e pós-operatório, para poder sempre melhorar;
  • Disponibiliza uma casa de função, com telefone, para que pessoas que moram muito longe do hospital, possam ficar com o seu familiar/acompanhante, perto do hospital no dia seguinte à cirurgia.
Apesar dos constrangimentos existentes - como sejam, as instalações, já que o Hospital José Joaquim Fernandes não tem instalações especificamente desenhadas para esse efeito (Hospital construído há muitos anos, não planeado para este modelo de prestação de cuidados); a escassez de recursos humanos (médicos anestesistas e algumas especialidades cirúrgicas); económico-financeiros (existência de uma percepção generalizada de que a Cirurgia do Ambulatório não é ressarcida de forma adequada pelo SNS) e o envelhecimento, isolamento e iliteracia da população (população envelhecida, com morbilidades, a morar isolada, a distâncias consideráveis do hospital, com deficientes condições de transporte público e com níveis elevados de iliteracia) -, os resultados apresentados são surpreendentes.

Recomendações

Recomenda-se a participação de todos os profissionais dos serviços envolvidos em todas as fases do projecto, no sentido de se atingir uma melhoria dos serviços prestados.

Próximas Acções

O desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório pressupõe um conjunto de acções contínuas que necessitam de manutenção e implementação de outras conforme as necessidades sentidas. Está a decorrer uma investigação acerca do Controlo da dor até às 72horas do pós-operatório.

Anexos

Desenvolveu-se um questionário de Satisfação dos utentes perante os cuidados prestados na Unidade de Cirurgia de Ambulatório.

Unidade de Cirurgia de Ambulatório, in Boletim do Hospital José Joaquim Fernandes – Beja, nº 9, página 7, Julho/Setembro de 2008 (pdf, 156 KB)

Resultados

As vantagens observadas são:
  • Menor taxa de complicações pós-operatórias;
  • Criação de menos stress aos utentes;
  • Possibilidade de recuperação no ambiente familiar;
  • Regresso precoce às suas actividades diárias;
  • Aumento da acessibilidade dos doentes à cirurgia;
  • Menor custo por cada tratamento.
Este projecto foi finalista dos Prémios de Boas Práticas no Sector Público, promovidos pela Deloitte em 2009, na categoria “Serviço ao Cidadão – Saúde” e “Melhoria de Processos”.

Ponto de Contacto

Luís Gabriel
Médico responsável

Alexandra Costa
Enfermeira responsável
alexandramcosta@yahoo.com.br  

Unidade de Cirurgia de Ambulatório da ULSBA

Tel.: (+351) 284 310 200 / 284 310214

 Última Actualização: terça-feira, 29 de Dezembro de 2009