Atlas da Habitação de Portugal
O "Atlas da Habitação de Portugal" traduz, sob a forma de gráficos, mapas e esquemas apelativos, informação estatística para a compreensão da problemática da habitação.

Iniciativa: Atlas da Habitação de Portugal
Entidade: Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P. (IHRU)
Destinatários/Beneficiários: Cidadãos
Categoria: Sustentabilidade
Ponto de situação: Concluído
Site: www.portaldahabitacao.pt 

O "Atlas da Habitação de Portugal", disponível para consulta online, foi encomendado à Faculdade de Engenharia da Universidade Católica pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU).

O atlas decorre da crescente importância da informação estatística na compreensão das realidades em constante transformação no território nacional, consistindo num documento caracterizador da evolução da habitação e da população, permitindo perspectivar as necessidades a suprir, tentando compreender comportamentos sobre uma plataforma territorial.

O Instituto Nacional da Habitação (INH), ciente desta necessidade extrema, para os mais variados fins, com substancial importância no apoio à decisão governativa, promoveu a elaboração do “Atlas da Habitação”. Trata-se de um documento técnico que pretende fundamentar as opções de uma política da habitação que considere os tipos de carências existentes, as condições socio-económicas das populações e o equilíbrio entre tipologia, custo e características, mantendo actualizado o conhecimento dos problemas habitacionais.

A caracterização da situação habitacional, essencial na definição da política da habitação, integra um grau de complexidade que supera o próprio âmbito, implicando a análise de distintas componentes, desde o domínio social, económico, o enquadramento europeu, o povoamento e a estrutura de povoamento e, por último, as perspectivas de evolução populacional e habitacional a nível nacional, europeu e mundial.

Adoptou-se uma metodologia estruturada em três componentes, tendo a primeira consistido na definição das componentes que directa e indirectamente interagem com a habitação, seguida da definição dos indicadores a estudar, da desagregação da informação - Europa, Portugal, NUTS I, NUTS II, NUTS III e concelhos – e das respectivas fontes. No âmbito da segunda componente, efectuou-se a recolha da informação, assim como o seu primeiro tratamento estatístico, e numa terceira, e última, componente continuou-se o seu tratamento estatístico, interligando-se indicadores que permitam reflectir com maior veracidade as actuais necessidades e tendências da habitação tendo em conta o presente contexto socio-económico.

As principais fontes estatísticas congregam organismos e instituições desde o Instituto Nacional de Estatística, nomeadamente, pelos Recenseamentos da População e da Habitação, Estatísticas Demográficas, Anuários Estatísticos, Estatísticas da Construção e da Habitação, até ao Eurostat, Ministério das Finanças, Ministério da Economia, OCDE, European Central Bank, European Commission, ONU, entre outros, tendo-se utilizado séries longas (desde 1864) para os principais indicadores referentes à população, incluindo indicadores demográficos, e família, séries de 20 anos – Recenseamentos de 1981, 1991 e 2001 – para outros indicadores, sempre que possível, e 1991 e 2001 por NUTS II e por concelho.

Este estudo contribui assim para a compilação, e tratamento, de informação estatística publicada, com vista à tradução gráfica de informação estatística extensa e ilegível sob a forma de quadros, gráficos, mapas e esquemas, orientados segundo a especificidade dos dados em questão.

Uma vez que se trata de um “atlas” não se realizaram análises e diagnósticos, ficando estes ao critério do leitor e do profissional, privilegiando-se unicamente a visualização da informação estatística. A sua utilização torna-se assim ilimitada.

Ponto de Contacto

João Teixeira
joao.pereira.teixeira@hotmail.com

Maria João Martins
Autora do documento

mjamartins@gmail.com
 
 Última Actualização: terça-feira, 13 de Outubro de 2009