Modernização Alentejo Central@2015
O projecto ModernizaçãoAC@2015 representou uma importante etapa de modernização e consolidação dos sistemas tecnológicos dos municípios do Alentejo Central, continuando uma estratégia integrada de desenvolvimento e inovação nos serviços. Através de uma estratégia conjunta foi possível atingir elevado compromisso de execução do projeto e um elevado grau de sofisticação das soluções implementadas.

Título
Modernização Alentejo Central@2015

Entidade

  • CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central
  • Municípios de Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Mora, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vila Viçosa

Entidades parceiras
Municípios de Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Mora, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, e Viana do Alentejo.
 
Destinatários/Beneficiários potenciais
Municípios de Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Mora, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, e Viana do Alentejo.

Ponto de Situação
Parcialmente concluída.
 
Custos envolvidos
1.800.000€

Taxionomia
Os municípios do Alentejo Central desenvolvem desde 2004, de forma consistente, iniciativas de modernização administrativa com o principal objetivo de melhorar e aproximar os mesmos dos cidadãos e das empresas, promovendo assim um aumento da eficiência e da qualidade da AP Local no território. O projeto ModernizaçãoAC@2015 assenta no desenvolvimento de atividades que correspondem aos domínios Reengenharia e Desmaterialização de Processos, Multicanal para Atendimento, Infraestruturas Tecnológicas.

Descrição breve
A operação concretizou uma intervenção de Modernização com o objetivo de aumentar a eficiência dos serviços criando uma envolvente administrativa local favorável à coesão e competitividade. Continuou o esforço de modernização e eficiência dos Municípios, no apoio ao e-government e e-governance, de forma a simplificar e melhorar os procedimentos ligados à atividade económica e investimento, bem como de dar resposta às novas competências ao nível do Licenciamento Zero e SIR. A intervenção seguiu as linhas de orientação definidas pela AMA – Agência para a Modernização Administrativa.

Durante o desenvolvimento do projeto foram desenvolvidas atividades nas tipologias de Reengenharia e Desmaterialização, Multicanal e Infraestruturas Tecnológicas. As atividades desenvolvidas permitiram melhoraras os processos administrativos internas dos municípios, promovendo uma desmaterialização recorrente e incremental de processos, permitindo uma evolução consistente para o futuro. Através de inovadores canais de comunicação, online e presencial, passa a ser possível uma melhor interação dos munícipes com o seu município. As infraestruturas de suporte, redes e centro de dados, são desde o inicio peça chave no desenvolvimento de uma conetividade integrada de suporte a serviços de elevada qualidade e fiabilidade.

Consideramos que foram atingidos os objetivos inicialmente definidos:

  • Melhoria da prestação do serviço aos cidadãos e às empresas;
  • Modernização das entidades beneficiárias;
  • Contributo para a estratégia e objetivos da política nacional para a modernização administrativa e administração eletrónica;
  • Inovação e utilização de “boas práticas” da operação;
  • Envolvimento dos parceiros com representatividade à escala regional e nacional

Descrição pormenorizada
O projecto ModernizaçãoAC@2015 representou uma importante etapa de modernização e consolidação dos sistemas tecnológicos dos municípios do Alentejo Central, continuando uma estratégia integrada de desenvolvimento e inovação nos serviços. Através de uma estratégia conjunta foi possível atingir elevado compromisso de execução do projeto e um elevado grau de sofisticação das soluções implementadas.

Na tipologia componente de Reengenharia e Desmaterialização foram alcançados os objetivos propostos, nomeadamente:

Desmaterialização de Processos de Negócios. de regulamentos e taxas municipais, o levantamento e desenho de processos (workflow) transversais à organização, a desmaterialização e reengenharia de processos relativos às formalidades do licenciamento Zero e Sir.

Ainda nesta atividade, na entidade promotora CIMAC, realizaram-se também o levantamento e desenho de processos (workflow) e revisão de formulários, com vista à adaptação do novo modelo de gestão de processos.

A atividade CLOUD BPM, na implementação tecnológica dos processos estruturados de acordo com levantamento e desenho de processos otimizados. Também nesta atividade, os objetivos definidos foram alcançados nos municípios participantes e na CIMAC.

De forma a garantir a desmaterialização documental e a tornar eficiente uma tramitação eletrónica, foi implementado nos municípios uma solução online e descentralizada de gestão de processos, de maneira que permite uma evolução permanente dos processos e dos documentos, com especial relevância para:

  • Gestão eficiente dos processos de negócio das autarquias;
  • Solução de gestão documental integrada e ágil;
  • Apresentação numa interface homogénea o acesso a:
  • Processos externos que interajam com os munícipes (serviços online);
  • Processos internos que façam a tramitação dentro do município (balcão atendimento);
  • Integração de processos numa lógica intermunicipal entre os Municípios e CIMAC;

Durante o desenrolar dos trabalhos foi necessário analisar e discutir internamente as soluções que melhor se adequavam às necessidades e requisitos definidos, tendo sido uma tarefa complexa e demorada. Assim foram implementadas nos Municípios soluções de tramitação e gestão documental (Medidata DAM e LINK eDOC) e solução de integração e interoperabilidade (Outsystems) que permitem o permanente e ágil desenvolvimento de processos desmaterializados, a integração de múltiplas plataformas ao nível dos serviços e dos dados (ETL/ESB). Os municípios dispõem hoje uma framework completa e ágil para a desmaterialização completa dos seus processos administrativos e uma maior integração e agilidade na utilização de múltiplas plataformas electrónicas, permitindo uma visão mais completa dos subsistemas digitais.

O processo de implementação das atividades revelou-se de difícil, começando pela complexidade dos processos e respetivo levantamento para conduzir ao desenho otimizado dos processos, acrescendo à complexidade o distinto nível de maturidade existente em cada município.  Concluído o desenho e definição dos processos foram implementados nas ferramentas (MEDIDATA e LINK EDOC) em produção processos mais relevantes e urgentes, sendo um processo evolutivo permanente de implementação de processos desmaterializados e novos processos identificados.

Foram constituídas com cada município equipas de trabalho incluindo elementos da equipa CIMAC e dos fabricantes de software com vista a proporcionar uma evolução contínua e crescente nos processos desmaterializados e disponíveis ao cidadão. É hoje possível uma evolução para que toda a tramitação documental e processual seja realizada de forma eletrónica interna, e externamente ao prestar os serviços aos munícipes através da internet. Os municípios são, assim, organizações mais eficientes, otimizando custos operacionais através da diminuição significativa da utilização do papel e com a centralização e partilha da plataforma de BPM. São hoje organizações mais ágeis, com maior capacidade de gestão e decisão.

Na tipologia Multicanal, foram desenvolvidas ações para implementação de canais online de relação com o cidadão:

A disponibilização de Serviços Online, foram realizadas ações de implementação tecnológica de novos serviços integrados com as soluções existentes e componentes adicionais que permitem a disponibilização de serviços online. Foram realizadas integrações com os ERP existentes, quer com módulos do mesmo fabricante quer com plataformas novas, bem como a integração com nova plataforma de indicadores (BI).

A implementação das plataformas foi realizada na infraestrutura de Centro de Dados CIMAC em modelo de IaaS, PaaS e SaaS. Através desta atividade, nos municípios de Borba, Arraiolos, Alandroal, Montemor-o-Novo, Mora, Redondo foram realizadas ações de migração das aplicações para interface web/browser que permite melhor usabilidade e flexibilidade no acesso em mobilidade e melhor interoperabilidade da interface, implementação de infraestrutura para disponibilização dos serviços online por cada um dos municípios e a integração entre os workflows individuais de cada município e a gestão documental da CIMAC com vista à tramitação digital e integrada de processos.

Para os municípios de Vendas Novas, Évora, Mourão, Viana do Alentejo e CIMAC foram realizadas ações de migração das aplicações do ERP (MEDIDATA) utilizadas para interface web/browser e a integração com a nova plataforma de gestão documental (LINK EDOC), permitindo maior produtividade na utilização das várias plataformas e canais.

Na componente educativa foi realizado um trabalho de levantamento e implementação da plataforma educativa para os municípios de acordo com as disponibilidades dos agrupamentos e técnicos municipais para as áreas curricular e AEC, ação social, transportes, refeições que permite a gestão integrada entre município, agrupamento e comunidade escolar (alunos e pais). Foram igualmente implementadas aplicações e interface móvel para os municípios comunicarem com os cidadãos, quer de conteúdo informativo quer de conteúdo transaccional. 

O desenvolvimento de Infraestruturas Tecnológicas, são uma das vantagens dos municípios do Alentejo Central, através de redes integradas e centro de dados consolidado.
A CIMAC continuou a estratégia de Consolidação CLOUD - Data Centre - hardware e software onde foram realizadas ações de aumento das redes municipais de forma a assegurar o acesso com qualidade aos serviços em qualquer edifício e serviço municipal, de aumento e consolidação da capacidade de processamento e armazenamento, bem como de plataformas de software de suporte numa lógica de PaaS e IaaS. No âmbito desta atividade, especificamente na componente de hardware, foi adquirida plataforma de computação, armazenamento e gestão de plataforma CLOUD para os municípios na utilização das plataformas de servidores existentes no Data Centre CIMAC onde os municípios podem consumir serviços disponíveis e desenvolver a sua CLOUD privada com vista à disponibilização de serviços para os seus utilizadores e munícipes. Este modelo permite aos municípios uma elevada integração intermunicipal e uma flexibilidade no desenvolvimento de serviços individuais, mas partilhados. Foram consolidadas infraestruturas e criadas as condições para um processo contínuo de consolidação e otimização de recursos e custos de OPEX numa CLOUD única, com capacidade de self-provisioning.

A capacidade adquirida de computação e armazenamento (storage) permitiu a consolidação de toda a infraestrutura servidor no Centro de Dados CIMAC e de Municípios na nova infraestrutura. A infraestrutura tem gestão centralizada e unificada simplifica a aplicação consistente de configurações em servidores, storage/san e respetiva visibilidade, permitindo autonomia municipal na gestão dos seus recursos.

No que diz respeito à componente software, a consolidação das plataformas municipais dedicadas à desmaterialização e serviços online foi necessária a implementação em várias fases de infraestruturas de software para CLOUD e serviços partilhados consolidando as plataformas de servidor, firewall e segurança, intranet e extranet, gateway aplicacional e de acesso remoto, base de dados, de email, de comunicações unificadas, de gestão documental e processos.

Foram implementadas soluções partilhadas de software base em modelos IaaS (cloud computação e armazenamento), PaaS (bases de dados) e SaaS (gestão documental edoc, email)  para os serviços CLOUD.

A atividade foi completada com sucesso estando disponíveis soluções de infraestrutura para gestão de CLOUD em modelo self-provisioning para os municípios, soluções de PaaS para serviços dos municípios e soluções de software para utilizadores em modelo SaaS. Esta consolidação permitiu aos municípios dispor de uma plataforma de elevada capacidade de computação e armazenamento, fiável, resiliente e segura.

A nível das infraestruturas críticas municipais foram integradas no Centro de Dados CIMAC em Évora com TIER2 e ISO9001, bem como em fase de certificação ISO 27000 para segurança da informação.

As tarefas de OMG técnico a nível do Data Centre e serviços partilhados estão centralizadas na CIMAC através de uma equipa multidisciplinar em TIC e uma plataforma de gestão com integração de processos ITIL para helpdesk. A publicação de serviços e aplicações dos municípios é atualmente possível através de múltiplos mecanismos centralizados e seguros.

  • Consolidação CLOUD - Redes Locais. Nesta atividade, consideram-se atingidos os objetivos definidos, na medida em as aquisições e trabalhos realizados foram de acordo com o previsto, com ajustes de pormenor aquando da implementação e configuração das redes, nomeadamente na integração com a rede comunitária. Foram implementados mais de 600 equipamentos ativos e vários quilómetros de fibra na expansão das redes. A nível da RCDE (Rede Comunitária em Banda Larga) foram criadas soluções de redundância que aumentam a qualidade e fiabilidade da rede de acesso dos municípios ao Centro de Dados, através de redundâncias adicionais. É hoje uma realidade que os municípios estão ligados ao Centro de Dados com ligações redundantes, traçado e POP, com débito de 20Gbit no anel principal e 2Gbit no acesso individual de cada município. Verificou-se a integração de vários edifícios nas redes municipais e RCDE.
  • Interoperabilidade AP Local (ESB+ETL). No processo de desenho do projeto e na fase de implementação foi evidente a necessidade de implementar uma plataforma que permitisse a interoperabilidade ágil no desenvolvimento de processos e na integração com plataformas existentes, novas e com agentes externos. Durante a implementação do projeto foram identificados os requisitos da plataforma, tecnológicos e funcionais, tendo sido selecionada e implementada uma solução que permite aos municípios total integração  das suas aplicações e dos processos através de desenvolvimento de software ágil e rápido.

A atividade permitiu implementar uma plataforma única de integração aplicacional, de transformação de dados e assegurar interoperabilidade aplicacional entre sistemas heterogéneos internos e com sistemas externos para os 14 municípios do Alentejo Central.
Plataforma de Gestão/ Reporting BI. Foi instalada e configurada a plataforma de Business Inteligence, que, para além da recolha de dados de várias fontes de informação externas, seja garantida a integração com os sistemas de informação internos (ERP, BPM, etc.).

Esta informação vai permitir que, através de indicadores de gestão, sejam desenvolvidos um conjunto de dashboards para o apoio à tomada de decisão. Neste momento, a plataforma disponibiliza vários dashboards de fontes de informação externa, estando em fase de conclusão a integração com os sistemas internos. Assim foi disponibilizada uma solução de gestão para melhorar a capacidade dos eleitos e gestores realizarem a monitorização da atividade municipal crítica para a melhoria dos serviços ao cidadão (BI&BAM - Business Activity Monitoring & Planning).

A solução está instalada no Data Centre CIMAC e encontra-se disponível para os 14 municípios do Alentejo Central, permitindo assim aos eleitos responsáveis, o acesso a relatórios flexíveis e parametrizáveis importantes à decisão estratégica. A solução foi implementada de forma transversal e com objetivo de ser interoperável com várias aplicações e fontes de informação, ERP, Gestão Documental, indicadores INE, gestão de piscinas, bibliotecas e outros, sendo agora possível realizar relatórios para inúmeros objetivos de forma totalmente independente do ERP.

A componente de dados abertos, disponibilidade de informação aos cidadãos, encontra-se por publicar.

Plano de Gestão e Continuidade de Negócio. Consideram-se atingidos os objetivos propostos, na medida em que foi efetuado o estudo e análise inicial do modelo de ITIL necessário e posteriormente a produção do PCN de acordo com as best practices recomendadas pela ENISA para “small to Medium Size Organizations”.

O desenvolvimento e entrada em produção do PCN foi feito com recurso a utilização de plataforma eletrónica de código aberto (COMBODO iTOP). A totalidade dos Ativos Críticos encontra-se cadastrada em sistema e a gestão de incidentes, problemas e alterações “Change” é atualmente feita pelas equipas de IT e ITO e coordenada num ciclo de aprovação totalmente informatizado.

A revisão do modelo e respetivos incrementos e atualizações e revisões por forma a promover as B.P. e a evolução do mesmo é feita numa base trimestral. O caracter de redundância e a robustez da solução implementada ao nível de “CORE” facilita em muito a utilização e manutenção do PCN sendo que as revisões dos ativos críticos bem como a elaboração de procedimentos são sem dúvida as tarefas realizadas mais importantes.

Foi implementada a plataforma ITIL open source, que permitiu documentar e agilizar os processos do PCN e que hoje gere todo o processo de continuidade e suporte.

Tecnologia
Em termos de hardware, na parte de computação foi utilizado Cisco UCS, em termos de armazenamento foi utilizado IBM Storwise V7000 e em termos de redes foi utilizado Routers e Switch Cisco. Em termos de software, foi utilizado o software das empresas Link Consulting e Medidata - Sistemas de Informação para Gestão documental, software da Cortex Intelligence para BI, software da Edubox em termos de aplicações mobile e recursos educativos, software OutSystems em termos de Integração de sistemas, iTop em termos de PCN e software Microsoft, VMWARE e Cisco em termos de IaaS. Existem hoje disponíveis no Centro de Dados CIMAC múltiplas plataformas, de código aberto ou de código fechado numa solução resiliente em termos de futuro. O conjunto permite uma panóplia de opções futuras, aumentado a autonomia em futuras decisões. 
 
Próximas Ações
Não estão previstas ações de divulgação do projeto.

Ponto de Contacto
Para mais informações contatar a CIMAC
E-mail geral@cimac.pt
Telefone 266 749 420

Site
Para informações sobre o projeto desenvolvido consultar www.cimac.pt

Resultados
A. Contributo para a melhoria da prestação do serviço aos cidadãos e às empresas
Para a prossecução do objetivo “A. Contributo para a melhoria da prestação do serviço aos cidadãos e às empresas”, foram implementadas soluções inovadoras e que permitem desde já e no futuro próximo um novo paradigma de gestão e de melhoria contínua dos serviços ao cidadão e empresas numa lógica intermunicipal, moderna e eficiente. Uma das atividades realizada na operação foi a Reengenharia e Desmaterialização de Processos de Negócio, na qual foi possível otimizar e desmaterializar os processos de interação entre a administração e o munícipe/empresa, nomeadamente através da reengenharia e desmaterialização dos processos já existentes nos municípios, tal como desenho e implementação de novos processos de acordo com as alterações legais, nomeadamente nos processos ligados ao Licenciamento Zero e SIR, através da integração com o Balcão do Empreendedor (BdE). Também a atividade CLOUD BPM, através da implementação de uma solução online e descentralizada de gestão de processos, visou corresponder ao racional de integração e consolidação expresso no Plano global estratégico de racionalização e redução de custos nas TIC, na Administração Pública e às mais recentes tendências de transformação dos serviços TI (crescente transferência de serviços para modelos de CLOUD privadas e SaaS). Considera-se que as atividades realizadas no âmbito da operação Modernização Alentejo Central@2015 contribuíram para a melhoria da prestação do serviço aos cidadãos e às empresas, estando criadas condições únicas no Alentejo Central para um serviço digital e presencial de elevada qualidade que integre a AP Local, Regional e Nacional numa interface simplificada e integrada para o cidadão e empresa.

B. Contributo para a modernização da entidade beneficiária (efeitos e resultados)
Relativamente ao objetivo “B. Contributo para a modernização da entidade beneficiária”, toda a operação foi centrada na melhoria dos serviços de atendimento ao munícipe/empresa, com claros benefícios ao nível da eficiência e eficácia na prestação de serviços por parte das entidades beneficiárias. Conforme referido em sede de candidatura, nesta operação, a implementação e desenvolvimento das soluções previstas foram efetuadas com base numa perspetiva modular, incremental e que permite disseminação noutras entidades da AP através de integração aplicacional. No que diz respeito a infraestruturas tecnológicas, o CTD é uma infraestrutura de Data Centre partilhado centrado no desenvolvimento e disponibilização de soluções e ferramentas para a administração pública local do Alentejo central, onde estão centralizadas as soluções de software, hardware e armazenamento necessárias ao desenvolvimento das ferramentas/plataformas. A implementação e consolidação das atividades realizadas permite ir de encontro aos atuais modelos de organização e gestão da Administração Pública, tirando proveito do crescente uso das tecnologias de informação e comunicação e da diversidade de canais de comunicação que os Municípios do Alentejo Central têm hoje cada vez mais acessíveis – muitos deles resultantes dos investimentos realizados no Distrito durante os últimos anos, com projetos como o Évora Distrito Digital e a Rede Comunitária em Banda Larga do Distrito de Évora. A modernização dos beneficiários é claramente atingida pela elevada consolidação de infraestruturas e pela maior capacidade de providenciar serviços digitais integrados e eficientes aos funcionários, aos munícipes e aos dirigentes. Foram durantes os processos de melhoria instalados aproximadamente 698 equipamentos ativos, integrados mais de 75km adicionais de fibra ótica, ligados ou melhoradas as ligações em 130 edifícios, melhorada a redundância e resiliência do acesso dos municípios ao Centro de Dados com ligações redundantes à RCDE. Foi possível igualmente o aumento da capacidade de ligação do Centro de Dados para 2Gbps e até 10Gbps, a redundância que permite cancelar acessos de operador e reduzir custos, nomeadamente no acesso internet, em retirada de acessos RDIS existentes de backup para VOIP. Esta consolidação e melhoria dos serviços dos beneficiários significa hoje a gestão integrada pela CIMAC e pelas equipas técnicas municipais de 600 ativos LAN, infraestrutura VOIP integrada com mais de 800 telefones e uma rede MAN intermunicipal entre 14 municípios e cerca de 22 parceiros (RCDE) com 170 equipamentos de transmissão. O total atual de edifícios integrados em redes municipais é de 180 e em crescendo. Estão igualmente criadas condições para as equipas TIC municipais desenvolverem novas aplicações e soluções a partilhar via SVN.GOV.PT com a restante AP Local nacional que vise reutilização de soluções. As infraestruturas de computação e armazenamento estão hoje consolidadas permitindo uma nova forma de desenvolvimento para os serviços digitais dos municípios com uma estratégia de base territorial integrada.

C. Contributo para a estratégia e objetivos da política nacional para a modernização administrativa e administração eletrónica
O objetivo “C. Contributo para a estratégia e objetivos da política nacional para a modernização administrativa e administração eletrónica” foram realizadas ações consistentes, sistemáticas e profundas na regulamentação municipal e tudo o que pudesse estar diretamente relacionado com a simplificação administrativa no sentido de uma transformação digital dos serviços, mais ágeis, mensuráveis e auditáveis por forma de tornar a AP mais transparente, eficiente e eficaz para o cidadão. O levantamento e reengenharia desenvolvidos contribuiriam significativamente para que estes municípios, definitivamente, criassem a consciência e as condições de evolução para a melhoria dos seus indicadores de eficiência interna e de eficácia nos serviços externos pretendidos pelos seus clientes. Embora se tenha conseguido “facilitar a vida aos cidadãos, diminuir os custos de contexto que sobrecarregam as atividades económicas e modernizar a administração” este trabalho é um processo contínuo, agora consolidado que permitirá no futuro em continuidade provocar uma inovação sem retorno nos serviços disponíveis. Durante o projeto foram melhorados os mecanismos de governabilidade, realizada redução de custos ao nível das infraestruturas, a consolidação e implementação de soluções TIC comuns (infraestrutura e Serviços), a utilização das TIC para potenciar a mudança e a modernização administrativa e estímulo ao crescimento económico. As condições criadas contribuem positivamente para reduzir os custos com a função informática nos municípios e respetivos custos de contexto para o exterior, cumprir objetivo de ter 100% dos serviços totalmente suportados em tecnologias de informação mensuráveis e auditáveis, consolidar num único centro de dados adequado (TIER2) as soluções com equipa de gestão partilhada, publicar e disponibilizar um conjunto vasto de serviços online em constante crescimento (nem todos os serviços foi possível disponibilizar embora tecnologicamente todos estejam disponíveis por decisão estratégica) até à totalidade dos serviços. Permitirá rapidamente disponibilizar no portal de dados.gov.pt um conjunto de dados com base nos dados extraídos para a plataforma de BI, desenvolver e partilhar aplicações  em formato aberto com base na comunidade criada de desenvolvimento de software intermunicipal. Estes dois últimos objetivos ainda não foram conseguidos pela incapacidade temporal mas foram criadas condições significativas para esta transformação e rapidamente cumprir estes números de 30 conjuntos dados, 10 aplicações e 10 de código aberto.

D. Inovação ou de utilização de “boas práticas” da operação
O mérito da operação no que diz respeito ao “D. Inovação ou de utilização de “boas práticas” da operação” as equipas envolvidas endereçaram no projeto os termos e orientações do plano global de racionalização das TIC e criaram as condições para um crescente fator de inovação nos processos digitais de suporte aos serviços municipais e intermunicipais. A consolidação de infraestruturas, racionalizando custos e melhorando significativamente os níveis de serviço ao cidadão. A implementação e desenvolvimento de soluções partilhadas por um elevado número de municípios, ERP, Gestão Documental, Plataforma de Desenvolvimento, CLOUD com níveis de IaaS, PaaS e SaaS disponíveis e em crescente utilização são prova do carácter inovador e singular do projeto desenvolvido. As boas práticas aplicadas no projeto e algumas normas permitem considerar consistente o projeto e as iniciativas desenvolvidas.

E. Envolvimento dos parceiros relevantes ou representatividade à escala regional/nacional
Tendo envolvido um elevado número de parceiros de forma integrada, com objetivos comuns e com soluções implementadas em modelo partilhado e participativo considera-se que o critério “E. Envolvimento dos parceiros relevantes ou representatividade à escala regional/nacional” cumprido na medida em que foi possível contar com a participação dos 14 municípios no desenvolvimento de soluções, na consolidação do Centro de Dados único e de múltiplos serviços em utilização corrente por todos os utilizadores. Esta participação foi mais ativa em 13 dos 14 municípios do Alentejo Central, tendo em conta que o município de Vila Viçosa não desenvolveu atividades individuais de melhoria.

Última atualização: 04-04-2016