Logo SIM
Implementação do SIM - Sistema de Informação Multidisciplinar
A iniciativa, contemplada na Operação Nº 1 do SAMA 2008 – Sistema de Apoios à Modernização Administrativa, surgiu da necessidade sentida em consolidar e centralizar a informação residente em diversas aplicações informáticas obsoletas em termos tecnológicos e dispersas por bases de dados em cerca de 90 locais disseminados por todo o território continental português, para um único sistema de informação com uma base de dados central e com uma arquitetura Web permitindo desta forma o acesso a todos os profissionais de saúde das diversas unidades de intervenção local do IDT, IP.
Entidade: Instituto da Droga e da Toxicodependência, IP
Entidades parceiras: Este projecto não teve entidades parceiras.
Destinatários/Beneficiários potenciais: Os destinatários deste Projecto são todos os Utentes da rede de Unidades Locais do IDT (Toxicodependentes, Alcoólicos, jovens em risco, familiares) num número total próximo dos 150.000, com registos anuais de 35.000 Utentes. Paralelamente, são também beneficiários os utilizadores diretos do Sistema (Médicos, Psicólogos, Enfermeiros, Técnicos de Serviço Social, Terapeutas Ocupacionais, Fisioterapeutas, Nutricionistas, Técnicos Psicossociais, "gestores" a todos os níveis da organização e Administrativos que, quotidianamente interagem com o sistema.

Ponto de Situação:
O Sistema encontra-se em produção, sendo utilizado por mais de 1.400 utilizadores quotidianamente e cumprindo já as suas funções seja de suporte à decisão clínica seja de gerar indicadores de suporte à gestão.

Descrição breve
No sistema desenvolvido com o nome SIM – Sistema de Informação Multidisciplinar reside neste momento a informação clínica relativa a cada utente de ambulatório (áreas Médica, Psicologia, Enfermagem, Serviço Social, Terapia Ocupacional, Fisioterapia e Nutrição), programas farmacológicos, internamento de desabituação e internamento em comunidade terapêutica num processo clínico eletrónico do utente contribuindo assim para uma maior qualidade dos cuidados de saúde prestados. Naturalmente que o sistema está devidamente autorizado pela Comissão Nacional de Protecção de Dados. 

Descrição pormenorizada
Com a implementação do Sistema de Informação Multidisciplinar dotou-se o IDT, IP de um sistema de informação único com uma base-de-dados centralizada, que suporta a sua atividade operativa, designadamente:

  • Aumenta o conhecimento relativo à população com que trabalhamos (sejam indivíduos, famílias, comunidades ou instituições);
  • Agiliza os procedimentos de carácter técnico/administrativo, de forma a otimizar o trabalho dos profissionais;
  • Facilita a discriminação e quantificação das diversas intervenções desenvolvidas pelos profissionais, bem como o seu peso relativo no respetivo horário de trabalho;
  • Aperfeiçoa o controlo do rastreio periódico relativo a doenças infecto-contagiosas;
  •  Melhora a qualidade e quantidade de informação parametrizada relativa aos resultados das intervenções desenvolvidas;
  • Promove a prática de uma intervenção baseada na evidência, facilitando aos profissionais o acesso à informação necessária de suporte à decisão clínica;
  • Apoia o processo de gestão com base numa leitura objetiva da realidade, que relacione as características da população, com as intervenções desenvolvidas, respetivos custos e resultados alcançados;

As principais dificuldades encontradas na implementação deste projeto passaram por:

  • Levantamento de necessidades e de requisitos funcionais e não funcionais.
  • A diversidade de grupos profissionais envolvidos no projeto
  • A existência de unidades de intervenção local descentralizada e com realidades distintas quanto aos procedimentos de recolha e registo de dados.
  • A importação dos dados para a base de dados central com todos os problemas relacionados com informação duplicada de qualidade insuficiente.
  • Elevada mobilidade dos utentes
  • A resistência à mudança de paradigma e do registo dos dados também foi um factor que foi necessário ultrapassar.
  • A competência necessária para a implementação deste projeto foram de carater técnico e fundamentalmente de disseminação dos sistemas junto dos utilizadores e formação dos mesmos.

Tecnologia
O Sistema de informação Multidisciplinar encontra-se suportado num plataforma Linux (sistema Operativo), Plataforma OutSystems (componente aplicacional) e em base de dados Oracle (armazenamento dos dados) e foi desenvolvida por uma empresa externa e cuja gestão e administração são tarefas realizadas através dos recursos internos.

Recomendações

  • Definição cuidada e precoce do âmbito do projecto acompanhado por um rigoroso levantamento de requisitos.

  • Definição atempada dos recursos humanos, materiais e financeiros a afetar ao projeto, seja na fase de conceção e desenvolvimento, seja na fase de entrada em produção.

  • Atenção particular às estratégias de envolvimento e motivação dos utilizadores, explorando os potenciais ganhos que poderão ter mas gerindo cautelosamente as suas expectativas, e promovendo a harmonização de conceitos e de procedimentos de recolha/registo de dados.

  • Assegurar o forte envolvimento das estruturas dirigentes de topo e intermédias em todas as fases do projeto.

  • Razoabilidade na extensão de indicadores e de funcionalidades a implementar numa perspectiva de facilitar o crescimento futuro do sistema baseado em necessidades objectivas posteriormente constatadas.

Próximas Ações

Dar continuidade ao projeto implica assegurar a sua permanente adaptação à sempre mutável realidade clínica e social em que o Instituto intervém, mantendo a sua atualidade em termos da informação recolhida e processada, dos indicadores que proporciona e das funcionalidades que contém.

Anexos

O Sistema de Informação Multidisciplinar compreende os seguintes instrumentos:
• Manual de Conceitos e Procedimentos (Componentes Gerais, Área Médica, Área da Psicologia, Área da Enfermagem, Área do Serviço Social, Área da Terapia Ocupacional, Área da Fisioterapia, Área da Nutrição).
• Manual do Utilizador.
• Aplicação Informática.

Resultados

Considerando que o SIM foi implementado no primeiro semestre de 2010, é já possível constatar os seguintes resultados:

  • Harmonização de conceitos e procedimentos de recolha e registo de dados.
  • Melhoria na qualidade (fiabilidade) e quantidade dos dados de caracterização da população atendida, das intervenções realizadas e dos ganhos em saúde atingidos.
  • Maior facilidade no acesso à informação clínica de cada Utente por todos os profissionais que com ele interage (independentemente da sua dispersão temporal ou geográfica), melhorando a coesão e eficácia das intervenções clínicas.
  • Eliminação do papel em diversos registos efetuados por profissionais.
  • Maior celeridade no processamento de algumas tarefas administrativas, com óbvios benefícios na prestação de cuidados aos Utentes e na economia de recursos humanos da Instituição.
  • Maior agilidade no processamento de dados e disponibilização de informação para os organismos nacionais (ex. Assembleia da República e Instituto Nacional de Estatística), europeus (ex. Observatório Europeu das drogas e da Toxicodependência) e internacionais (ex. Organização das Nações Unidas).

Ponto de Contacto
Interlocutores: Sandra Isabel Paiva e Pedro Catita
Funções: Responsável do Núcleo de Informática e Coordenador do Projecto SIM
E-mail: sandra.paiva@idt.min-saude.pt e pedro.catita@idt.min-saude.pt
Contacto: 211119000


Última atualização: 31 de Janeiro de 2012