Sistema Integrado de Gestão da Manutenção
A Câmara Municipal do Porto desenvolveu um SIGM dos equipamentos de transporte, com o propósito de eliminar avarias operacionais por causas técnicas, melhorar a operacionalidade da frota, economizar nos custos de operação e de manutenção e qualificar o pessoal na utilização dos procedimentos exigidos pelas boas práticas da manutenção e pelas exigências da certificação da qualidade como transmitir ao cidadão uma imagem de confiança e eficiência.

Iniciativa: Sistema Integrado de Gestão da Manutenção
Entidade: Câmara Municipal do Porto (CMP)
Destinatários/Beneficiários: Colaboradores das Oficinas da Câmara Municipal do Porto – Divisão de Transportes e Serviços Mecânicos. Contagiar favoravelmente as funções da C. M. Porto adjacentes.
Categoria: Inovação na Gestão
Ponto de Situação: O estado de desenvolvimento da iniciativa está em vias de conclusão e caminha para o processo de certificação das Oficinas.

A Câmara Municipal do Porto desenvolveu um projecto de gestão técnica e eficiente da manutenção dos equipamentos de transporte da Câmara, a qual se reflecte no bom desempenho da maioria das suas actividades.

Para a prossecução dos seus fins este projecto utilizou equipamento informático e um programa informático adequados (programa informático ManWinWin), tendo sido efectuado um contrato de manutenção e actualização do programa (M&A) que inclui uma prestação de serviços regulares e condições preferenciais para serviços a avulso. A gestão da manutenção é realizada com apoio de uma Empresa de consultoria.

O equipamento informático utilizado inclui:
  • PC’s, 
  • Impressoras, 
  • Sistemas operativos, 
  • Leitores de códigos de barras e
  • Impressora de código de barras.

 

O projecto incorporou como componente essencial para a sua sustentabilidade uma quantidade apreciável de documentação escrita agrupada num dossier de "Procedimentos de Gestão da Manutenção", acessíveis on-line aos participantes da manutenção.

Recomendações
  • As metodologias introduzidas são totalmente aplicáveis a casos idênticos;
  • Idem, com ajustamentos de parametrização, para qualquer caso onde se operem máquinas ou equipamentos (exemplos: edifícios, auditórios, pavilhões desportivos, jardins, piscinas, transportes públicos, etc.)
  • No caso adaptou-se o programa de manutenção para a gestão, em termos de custos, dos serviços de transportes solicitados pelas entidades internas e externas à DTSM. São elaborados relatórios por serviço e por centro de custos.
  • Contributo para optimização da gestão técnica dos equipamentos e rentabilização dos respectivos investimentos;
  • Modernização das práticas de trabalho;
  • Motivação do pessoal e indução de melhor ambiente de trabalho;
  • Criação de critérios objectivos de desempenho do pessoal (SIADAP);
  • Desenvolvimento dos sistemas de informação. O realizado alinha pelas melhores práticas consolidadas e está na grelha de partida para a incorporação dos recursos que agora despontam: pedidos à manutenção via mensagens SMS, instruções de trabalho e reporte via PDAs, acessos remotos à base de dados, ineternet sem fios, etc;
  • Melhor prestação de serviços da C.M.Porto.
  • Melhor imagem.

Próximas Acções

Certificação da Divisão de Transportes e Serviços Mecânicos

Anexos

Uma das componentes chave do projecto foi a introdução de procedimentos escritos como forma de garantir a sustentabilidade das boas práticas.
Cada actividade no processo da manutenção tem definidos:
  • Quem ?
  • Quando ?
  • Como ?
  • Responsabilidades de cada participante.
Estes procedimentos estão em forma escrita - prática comum em qualquer sistema de gestão de qualidade - agrupados num “Manual de Gestão da Manutenção da DTSM”. O perfil deste manual foi desenhado e é mantido de acordo com os critérios:
  • Simplicidade;
  • Dinâmica de desenvolvimento sistemático;
  • Burocracia mínima;
  • Eficácia;
  • Resistência intrínseca a extravasar as funções e missão da DTSM. 
Resultados
  • Registo e caracterização técnica de toda a frota e equipamentos, disponível e acessível.
  • Elaboração de uma Ordem de Trabalho, com a indicação de horas de trabalho, peças, serviços e custos, por cada trabalho de manutenção efectuado.
  • Implementação da manutenção preventiva, o que tem permitido a diminuição de avarias.
  • Introdução de indicadores de desempenho de manutenção, designadamente, número de avarias, tempos médios de reparação, disponibilidade, ponderações de esforço e custos, que suportam as decisões de gestão e orientam no estabelecimento de objectivos de melhoria e metas.
  • Elaboração de um histórico de todos os equipamentos disponíveis, com informação técnica e custos, a qual sustenta as propostas de renovação de frota em consonância com as necessidades dos serviços.

Ponto de Contacto

Agostinho Cardoso
agostinhocardoso@cm-porto.pt
 
Adília Almeida
adiliaalmeida@cm-porto.pt

Isabel Santos
isabelsantos@cm-porto.pt

 

 Última Actualização: sexta-feira, 30 de Maio de 2008